EFDeportes.com

Facebook Twitter Google +

Entrenamiento

10.07.2015
Brazil
POR |

Benefícios do treinamento resistido para crianças e adolescentes

A participação de crianças em programas de treinamento de força regular resulta em diversos benefícios relacionados à saúde e ao desempenho
O treinamento de força com ou sem o uso de aparelhos ou com o próprio peso do corpo está se tornando cada vez mais popular dentro das escolas

Introdução

Treinamento de força, treinamento resistido ou treinamento com pesos podem ser definidos como sinônimos. O treinamento resistido pode ser definido como uma forma especializada de condicionamento usado para a habilidade de produzir ou resistir a uma força. É uma atividade esportiva que está ganhando muita popularidade entre crianças e jovens; por isso, motivo de discussões quanto aos benefícios entre pais, professores e médicos.

Alguns conceitos afirmam ser o treinamento de força inadequado para crianças, pois resultam em lesões ósseas, musculares e articulares, além de impedirem o crescimento normal.

No entanto, na última década, os estudos apresentam evidências quanto à segurança e a eficácia dos programas de treinamento de força, para crianças e jovens, quando esses são devidamente planejados.

A despeito das preocupações com relação à segurança e à eficácia, os benefícios dos programas de treinamento resistido estão se tornando populares para meninos e meninas de todas às idades em escolas, centros esportivos e centros de recreação.

 

Benefícios relacionados à saúde

Segundo Faigenbaum, alguns programas de treinamento resistido para crianças ainda permitem dúvidas quanto à eficácia e segurança. Mas, em programas devidamente prescritos e competentemente supervisionados têm-se observado melhora nas variáveis relacionadas à saúde.

E diversos são os estudos que demonstraram a influência do treinamento resistido na densidade mineral óssea, composição corporal, aptidão cardiorrespiratória, lipídeos sangüíneos e bem estar psicológico.

 

Benefícios relacionados às habilidades motoras e desempenho esportivo

Vários estudos demonstraram que jovens melhoraram significativamente no salto vertical e horizontal, na velocidade, agilidade e no arremesso de bola medicinal participando de programas de treinamento resistido.

O treinamento também se mostra eficaz no desenvolvimento das habilidades motoras, embora não sejam vistos benefícios em todos os programas.

 

Redução de lesões

Conforme o American College of Sports Medicine, 50% de todas as lesões em jovens, decorrentes de práticas esportivas, seriam evitadas se mais ênfase fosse dada ao desenvolvimento de habilidades de aptidão, principalmente as relacionadas a esportes.

Portanto, o treinamento resistido pode diminuir a incidência de lesões em jovens atletas, pelo aumento da força músculo esquelético e o desenvolvimento muscular equilibrado em torno das articulações.

 

Orientações para programas de treinamento resistido

Para que o treinamento resistido seja seguro e eficaz, para crianças, algumas orientações devem ser seguidas.

1.    Programa compatível ao nível de desenvolvimento das crianças. É importante que as atividades escolhidas sejam compatíveis com as capacidades das crianças. As atividades apropriadas para crianças, iniciantes em treinamento resistido, são os exercícios calistenicos, exercícios pliométricos, peso do próprio corpo, cordas elásticas e bolas de medicinais leves.

2.    Instrução dirigida por profissionais qualificados. Programas de treinamento devem ser conduzidos por instrutores qualificados, professores e treinadores que entendam os princípios fundamentais de exercícios resistidos e a individualidade de criança e adolescentes. Supervisão minuciosa, instrução apropriada à idade e um ambiente seguro para os exercícios são requisitos fundamentais.

3.    Iniciar o programa com exercícios simples e aumentar a carga gradualmente. Programas de treinamento resistido para crianças e adolescentes podem ser executados em 2 (duas) ou 3 (três) sessões por semana, em dias não consecutivos.

Para iniciantes cada sessão deve ter apenas 1 (uma) série com exercícios simples, em um período de 3 (três) a 4 (quatro) semanas, e somente após conseguir a técnica adequada dos exercícios passar para 2 (duas) séries com exercícios multiarticulares.

Em cada série, os exercícios devem atingir todos os principais e maiores grupos musculares; exercícios para membros inferiores, ombros, peito, costas, membros superiores, abdominais e lombares. Realizados entre 6 (seis) a 15 repetições.

4.    Princípios para um treinamento saudável. Carga apropriada, progressão gradual e recuperação adequada entre as sessões de exercícios são considerações importantes.

O programa de treinamento deve respeitar a capacidade de cada participante. Em programas de treinamento de força bem delineados a intensidade, o volume e a progressão devem ser cuidadosamente prescritos.

5.    Técnica apropriada deve ser ensinada e reforçada. A forma e a técnica adequada dos exercícios devem ser reforçadas. Em alguns casos exercícios sem pesos podem ser sugeridos.

6.    Enfatizar o divertimento. Em programas de treinamento de força a melhora das habilidades, o sucesso pessoal e o divertimento são fatores que devem estar evidentes. O uso de registros personalizados em cada sessão pode auxiliar na melhora de força de cada participante, e fazer com que acompanhem o desenvolvimento.

7.    Programas de treinamento devem ter uma diversidade de exercícios. O acréscimo de novos exercícios, alterar o modo (modelo) de treinamento e variar o número de séries e repetições auxiliam a manter o programa desafiador e moderno. A introdução de exercícios calistênicos, cordas elásticas e bolas medicinais no programa de treinamento resistido pode ser benéfico, eficaz e divertido.

8.    Considerar múltiplos objetivos. Os objetivos de um programa de treinamento resistido não devem se limitar apenas à melhora da força muscular. O treinamento deve propor conhecimento sobre o corpo, promover procedimentos de treinamento seguro e ser um estímulo para que o participante tenha uma atitude mais positiva sobre o treinamento resistido e a atividade física.

9.    Ouvir e ensinar as crianças a ouvirem seus corpos. Professores, treinadores e pais precisam ouvir as preocupações, monitorar o progresso, compreender o desenvolvimento físico e psicológico das crianças e adolescentes. Jovens com níveis pobres de aptidão podem não estar aptos a tolerar a mesma quantidade de exercícios de seus companheiros. Nesse momento se faz necessários princípios de treinamento diferenciado, a utilização de cargas progressivas e equilibradas conforme as exigências e habilidades de cada indivíduo. Com treinamento específico se otimiza ganhos, previne-se o tédio, reduz-se o estresse por supertreinamento.

 

Conclusão

A participação de crianças em programas de treinamento resistido ou de força dá a elas a oportunidade de melhorarem a saúde e qualidade de vida. Crianças que participam de programas de treinamento resistido apresentam menor propensão a riscos de lesões nos esportes e atividades que praticam regularmente.

A participação de crianças nesse tipo de atividade pode favorecer os níveis de aptidão relacionados à saúde e melhorar o condicionamento de jovens que aspiram serem atletas em praticas de lazer e competição.

Fernando Braga
Rafael Abeche Generosi
Daniel Carlos Garlipp
Adroaldo Gaya
VER NOTA COMPLETA INICIO
LEER MÁS
El Webstudio